21 de junho de 2018

estou offline

2018 iniciou-se como um ano de incertezas, um ano onde fui forçada a aprender a viver um dia de cada vez e não fazer planos para o dia de amanhã. Vivendo nesse pensamento apenas foquei-me em alcançar dois objetivos: concluir a minha licenciatura e encontrar um emprego. Estamos nos finais de Junho e é com um sorriso nos lábios e o coração cheio de orgulho que sinto que consegui atingir essas duas metas, apesar de ainda não ter o meu diploma nas mãos.


Mas então qual é o meu problema?

Bem, eu estou offline, há muito tempo.

Pouco a pouco deixei o blog, deixei o instagram, deixei o canal no youtube. Deixei de escrever, deixei de fotografar e deixei de filmar. Deixei de ser aquela Vânia que procurava todos os pequenos momentos para capturar um única imagem, que conseguia ver magia em tudo e sonhava alto sem cair na realidade.

Por muito tempo, eu pensei que apostar nas redes sociais seria o caminho que deveria seguir. A verdade dura e cruel é que não. Eu não comecei o meu blog para levar o meu trabalho à fama. Eu não comecei o meu canal porque queria ganhar dinheiro e ter parcerias. Eu não criei uma conta de instagram porque queria ser conhecida. Eu crio porque me faz feliz e ter o poder de partilhar isso com o mundo é a razão que deve motivar-me. Eu não posso sentir-me obrigada a publicar quando nem eu própria sei o que estou a fazer.

Infelizmente fui apanhada pelo poder das redes sociais. Deixei-me influenciar pelos canais, blogs e instagrammers que sigo diarimente e mentalizei-me a seguir os mesmos passos. Felizmente (e finalmente) dei conta do caminho que estava a tomar e decidi dar um tempo. Um tempo onde possa refletir sobre a minha vida, nos meus objetivos e no meu estado de espírito.


E por isso estou offline.




Parte de mim quer voltar a 2014 onde fotografar era mais do que um simples hobbie e o blog um mero passatempo. Quero voltar aos momentos de inspiração repentinos que surgiam sempre momentos captados por uma simples máquina compacta que me seguia para todo o lado. Pergunto me onde é que tudo se tornou tão complicado. E acredito que foi a partir do momento que comecei a minha licenciatura em Portugal continental. Durante 3 anos eu aprendi a comunicar, aprendi as bases do jornalismo, da edição multimédia, do marketing e muito mais. Mas desaprendi a ser o mais genuína, a mais inspirada e a ser mais feliz. Vivi o stress, vivi a pressão e vivi experiências que ensinaram-me grandes lições. Tudo para melhorar a pessoa e a profissional que sou. Agora onde tudo acabou, olho para trás e percebo o porquê de tudo acontecer. E é com um sorriso que eu volto aqui, para desabafar no sitio que mais sinto saudades de passar o meu tempo. É com um aperto no peito que deixo tudo o que fiz na Internet para trás mas é com uma extrema felicidade que afirmo que estou de volta ao blog.

Sem compromissos, sem pressões, sem planeamentos.
Desta vez sou só eu a publicar um mero post e é assim que vai continuar a ser.

Sem comentários:

Enviar um comentário