11 de maio de 2013

PERSONAL | hope is a dangerous thing

    Uma manhã chuvosa encontrava-se do lado de fora da janela. A chuva batia constantemente nos vidros e criavam uma harmonia que a embalava. Ela estava enrolada nos seus cobertores e o sono já não se encontrava por perto. Era estranho, nunca imaginou sentir se atraída por tal rapaz. Não sabia bem o que via nele, nem sequer imaginava o porquê de se sentir assim... O cruzamento de olhares do dia anterior não lhe saia da cabeça. Recorda-se perfeitamente de sentir o seu coração a mil à hora, de sentiu o seu rosto a entrar em erupção. Foram os dois segundos mais perfeitos da sua vida, como o tempo tivesse parado e no mundo só eles o habitavam. O que será que sentiu? Será que ele percebeu de alguma coisa? Tudo questões que não saiam da sua cabeça, questões que a assombraram durante toda à noite.

Sem comentários:

Enviar um comentário