23 de julho de 2018

equilíbrio



DEFINIÇÃO: Equilíbrio significa harmonia, estabilidade, solidez. É o estado daquilo que se distribui de maneira proporcional. [LINK]

Eu aprendi a viver com a ideia que os acontecimentos precisam de ser equilibrados como o peso que precisa de ser distribuido numa balança. As coisas boas e más acontecem. Cabe a nós próprios saber como lidar com cada um, perceber onde é que cada lição pertence e aprender a seguir em frente. Para existir harmonia é necessário criar o equilíbrio. Perceber o que nos liberta e que nos afeta, perceber o que vai no nosso coração e mais improtante: quem realmente somos.

Foi neste ideal que vivi uma semana em Portimão. Entre o sol, amigos e o gigante oceano que explorei alguns aspetos em mim e consegui resolver alguns problemas que estavam dentro da minha cabeça.

Desde do início de 2018 que enfrentei um novo modelo de vida, onde tive que aprender a viver um dia de cada vez, sem fazer planos a longo prazo e não saber o que vem a seguir. Eu fui sempre o tipo de pessoa que sentia a necessidade de perceber o futuro e mesmo que não fizesse a miníma ideia, o facto de planear fazia-me sentir segura. Este ano sai completamente da minha zona de conforto e nem eu própria conseguia desvendar o que poderia acontecer a seguir. Fui confrontada com situações onde questionei os meus sonhos, as minhas capacidades e mesmo o meu ser.

No sul do nosso país eu percebi que, por vezes, viver um dia de cada vez não é assim tão mau e ajuda na minha sanidade mental. Acordar apenas com uma pequena ideia do que é preciso fazer sem preocupar-me com o ontem e o amanhã. Viver os acontecimentos sem estar agarrada ao telemóvel e aproveitar cada momento como se fosse o último. Decidi então continuar a planear e longo prazo, mas apenas defino objetivos e metas para alcançar. Não irá haver mais pressão, apenas ir na onda e viver a minha vida.

3 de maio de 2018

o poder dos novos hábitos

Recentemente publiquei um vídeo com o pequeno desafio de adotar quatro novos hábitos na minha vida: beber 1,5l água por dia, meditar, fazer a minha skin care routine e ler. Consegui com sucesso adotar 3 dos 4 hábitos e ainda estou a tentar adotar o último.

VISITA O MEU CANAL AQUI.

Para que tu também consiguas adotar novos hábitos, eu decidi pesquisar e explicar a importância dos hábitos e ainda dar algumas dicas que te podem ajudar a chegar ao nível de produtividade que ambicionas.


12 de fevereiro de 2018

deep talks # eu sou uma lutadora

Conhecem aquela sensação quando não sabermos o que estamos a fazer com a nossa vida? Que todos os passos que tomamos estão errados, que nada faz sentido? Ultimamente eu sinto-me assim. Perdida. Frustrada. Chateada. Ansiosa. E eu própria não sabia o que se passava com a minha vida, até ter uma daquelas conversas profundas e verdadeiras com pessoas (que é uma coisa que eu evito normalmente). E foi estranho. Estranho como um conjunto de palavras de pessoas que acabam por nos conhecer melhor do que nós próprios, muda as prespetivas, a maneira de confrontar os problemas.


21 de dezembro de 2017

Luxembourg 📷 day 1 & 2

 Find more of my photos on my flickr or instagram.

The details of my trip to Luxembourg - day 1 & 2

18 de outubro de 2017

PHOTOSHOOT | DINIS SILVA



Recentemente comecei a fazer sessões em Leiria!
Para a primeira sessão (e o início de uma nova parceria), tive o prazer de fotografar o Dinis Silva, a cara por detrás do blog Le Magazine.

Clica em ler mais para ver o resto das fotografias!

11 de outubro de 2017

Reconect - 23.08.2017


Reconect. Reconectar.
Volta às tuas origens. Não há tua terra, mas sim ao fundo da tua alma.
Volta a ligar-te a ti mesma, ao teu interior. Aos teus valores, às tuas paixões.
A vida são dois dias, e o ontem já passou.
Inspira. Expira.
Sente de novo o teu verdadeiro eu e vive, vive a tua vida.

1 de setembro de 2017

Feminismo não é um bicho de 7 cabeças


FEMINISMO: UM MOVIMENTO POLÍTICO, FILOSÓFICO E SOCIAL QUE DEFENDE A IGUALDADE DE DIREITOS ENTRE MULHERES E HOMENS.
(INFORMAÇÃO RETIRADA DAQUI)


Eu vivi e fui criada na igualdade. Nos meus dias de infância, eu partilhei tudo com os meus dois primos (homens). Crescemos juntos e não me lembro de me discriminarem só por ser rapariga. Sempre brinquei com os seus carrinhos, com os seus action mens, viamos juntos o Dragon Ball Z e Dragon Ball GT depois de chegarmos da escola e até cheguei ir mudar as vacas do meu avô de pasto com eles. Quando somos crianças tudo parece fácil certo? Mas quando crescemos, a história muda. 


A realidade sabe como uma chapada na cara, onde percebemos que tudo o que conheciamos é muito mais complexo, há mais preconceito e menos mente aberta.
As raparigas começam a ouvir "tu não podes fazer isto porque és mulher" ou "o lugar das mulheres é na cozinha e a limpar a casa". Os rapazes começam a ouvir "não podes vestir rosa porque é coisa de rapariga" ou "os homens não choram, os homens são fortes". Tudo coisas que não fazem sentido na mente de uma criança que sempre viveu em igualdade. 


Eu desde que me lembro que tento sempre ser eu própria, a expressar-me pela maneira de vestir, pensar e até mesmo sentir. Afinal todos temos o direito da liberdade. Liberdade para sermos nós próprios, mas a sociedade tende em puxar para baixo.

E para aqueles que pensam que o feminismo é um bicho de sete cabeças, pensem duas vezes. Esta não é nada mais do que a luta pela igualdade de direitos entre o homem e a mulher. Não é exterminar o homem, não é pôr as mulheres no poder, é igualdade.
A nossa geração tem o poder de mudar as coisas. Cada um de nós tem o poder de mudar o mundo à nossa volta. Basta acreditar e lutar por isso.

E vocês? Qual é a vossa opinião?